Tão Comum - Dias Iguais

Sandy definitivamente me surpreendeu. Quando ela disse que o álbum era mais autoral que comercial, fiquei assustado, mas ao ouvir o “Manuscrito” completo percebi que é um material recheado de canções radiofônicas.

Ok, temos algumas faixas que provavelmente não tocaria nas rádios, como “Duras Pedras”, “O que faltou ser” e “Perdida e Salva”. Coincidência ou não, as três canções é uma atrás da outra.

A faixa que abre o disco é a “inesperada” “Pés Cansados”, que também poderia entrar facilmente na lista de canções “não comerciais”, se não fosse o primeiro single. O álbum começa pra valer com “Quem eu sou”. Deveria ser o primeiro single: Traz uma Sandy cheia de atitude, com guitarras e lembra facilmente um hit de ganhador de American Idol.

Qualquer um que ouvir “O Tempo” vai ligar a canção ao álbum “Quatro Estações”, lançado quando Sandy fazia dupla com seu irmão, Junior Lima. Não ficaria surpreso se revelassem que esta canção foi descartada daquela época. “Ela/Ele” e “Esconderijo” são faixas narrativas, que dariam um bom clipe!

“Sem Jeito” é uma canção que deixa claro para todo o mundo que Sandy já é uma mulher casada. O álbum tem uma pegada rock na parceria com a cantora britânica Nerina Pallot. Lembra muito as melodias do Evanescence – só que bem mais lev, claro. Sabe aquela canção “Lithum”?

As faixas “Mais um rosto” e “Tão comum” são animadinhas. Aliás, “Tão Comum” é a faixa mais teen do álbum. É um hit pronto! Letra chiclete. De longe, a melhor faixa do CD.

Para deixar todo o mundo ansioso, separei trechos das minhas faixas favoritas do “Manuscrito”.

“Tão Comum”, que é a faixa mais antiga do álbum, foi feita logo que ela acabou a dupla com seu irmão. “Foi composta em 2007 e ela expressa o momento que era o fim da carreira com meu irmão. Eu não sabia muito bem pra onde eu tava indo, não sabia se ia dar certo ou não. Mas isso é tudo válido, porque a gente tem que arriscar. Muitas vezes temos que tomar decisões e teremos que encarar as consequências dela.”, disse.

Sandy também conta que a música passa uma mensagem positiva: “É uma música bem divertida e tem uma mensagem bem positiva. Se errar tá tudo bem, errar é comum. Erra não é definitivo, errar não é o fim. A gente está aqui para errar e acertar”. Sobre os arranjos da faixa, ela revela influência da black music. “É a única música que tem um arranjo puxado para blackmusic.”, conclui.

“Tão Comum”, Nova música de Sandy do cd Manuscrito

“Dias Iguais”, Nova música de Sandy do cd Manuscrito



Próximas datas

Aguarde novos eventos